top of page

Mochila, mochilinha, mochilão.


📷 Yuliya Ilkovych

E hoje vamos falar sobre a tão amada mochila! Nossa parceira e companheira de todas as trilhas. Como já comentamos em outro post sobre os equipamentos iniciais para as caminhadas, um dos que não pode faltar é a mochila.

Segundo a etimologia da palavra, o termo mochila vem do espanhol, derivado de “mochi”, que significa mensageiro. No site “A Origem da Palavra”¹, consta que “mochila” vem da época em que os escravos romanos, para se distinguirem de pessoas livres, tinham o cabelo raspado. Aqueles que tinham seu cabelo cortado eram chamados de mutilus, “mutilados”, como se tivessem perdido uma parte do corpo. Nessa construção, a mochila era parte essencial do escravo, que carregava as necessidades dos “patrões”, assim ela passou a ser chamada também de mutilus.

Asher “Dick" Kelty
Kelty Backpack 📷rustmag.com

O inventor responsável por dar origem à mochila como conhecemos hoje foi um americano, um apaixonado alpinista chamado Asher “Dick" Kelty, natural de Duluth, Minnesota. Em 1952, com a ajuda de sua esposa, ele tornou a fabricação de mochilas um negócio ao fundar a Kelty Packs e adicionou a este acessório alças almofadadas e bolsos com zíper. Suas inovações foram tão bem aceitas pelos aventureiros que o explorador da revista National Geographic, Nick Clinch, dizia: “Eu chamo Dick de Henry Ford de mochila”².


Nos anos de 1970, as mochilas ficaram populares e famosas entre os alpinistas. E com o passar dos anos, outras pessoas teriam aderido à ideia de Kelty para criar versões diferentes do acessório. Com isso, a mochila saiu do círculo dos alpinistas e foi ganhando o mundo.

Assim, a mochila desde sempre foi um item essencial e indispensável para os aventureiros. Ela nos permite carregar o nosso mundo particular em qualquer lugar. É nela que colocamos nossos documentos pessoais, lanches, repelentes, protetor solar, roupas ... E a nossa água, pois em toda caminhada temos que estar bem hidratados.


Kelty Backpack 📷rustmag.com

Desse modo, com a diversidade de modelos que passaram a existir, uma dúvida sempre ronda os iniciantes nas aventuras, que mochila levar numa trilha? Mochila comum? Mochila de hidratação? Mochila de ataque? Mochila cargueira? De quantos litros? São tantos nomes diferentes, qual devo escolher?

A definição da mochila a se levar deve considerar duas coisas: a duração do trekking ou hike e, também, os equipamentos que serão utilizados no caminho. Isso definirá o tamanho e a capacidade/volume/litros da mochila adequada.

Para se aventurar no mundo das trilhas, se você não tiver uma mochila específica, não há problemas em levar uma mochila comum para um passeio de um dia, em um trajeto pequeno de até 10 km. Porém, caso você vá realizar uma trilha mais longa, mesmo que por apenas um dos períodos do dia, é recomendado que você utilize uma mochila de hidratação.

Mochila de Hidratação

A mochila de hidratação consiste em um modelo pequeno, leve, com espaço para acoplarmos a bolsa de reservatório de água, que nos permite carregar de 2 até 3 litros de água, e que possui uma mangueira que fica presa na alça da mochila para facilitar o seu acesso e o consumo constante durante todo o percurso. Ela também possui espaço para levar itens pequenos como documentos, remédios, repelentes e, portanto é indicada para percursos mais longos de meio período.


Mochila de Ataque

Caso o percurso seja mais longo, algo como 20 km, ou que dure um dia inteiro, você pode levar uma mochila de ataque, que nada mais é do que uma mochila com capacidade para 10 até 30 litros de volumes, na qual também é possível levar a bolsa de água, e carregar roupas, mantimentos, e demais itens e equipamentos que nos permitam realizar tranquilamente o caminho.


Mochila Semi Cargueira




Para os passeios de 2 a 4 dias, é recomendada a mochila semi cargueira com capacidade para 30 até 55 litros de volumes, mais indicada para atividades de trekking, escalada, assim como outras atividades de caminhada.

Agora se a proposta de caminho for mais duradoura, compreendendo 4 a 6 dias, o ideal é a mochila cargueira, que comporta de 60 até 80 litros de volumes. Pois nessa situação, é necessário carregar todos os equipamentos e itens essenciais para se acampar como: saco de dormir, barraca, isolante térmico, roupas, alimentos, fogareiro, panelas, kits de primeiros socorros, alimentos, entre outros.


Nos casos em que se deseja fazer um percurso de mais de uma semana, são utilizadas as mochilas conhecidas como grandes cargueiras, com capacidade de 88 até 100 litros de volumes. Essas normalmente são usadas em expedições em montanhas.

Agora que você já conhece os diferentes tipos de mochilas e para que tipo de atividade serve cada uma delas, fica mais fácil definir qual levar. Mas, e como escolher entre tantos modelos diferentes, marcas e opções? Bom, isso fica para um próximo post. Se você gostou dessas informações iniciais, comente, compartilhe e siga nosso blog.


1.https://origemdapalavra.com.br/artigo/a-mochila/

2. https://outdoorindustry.org/press-release/asher-dick-kelty-84-outdoor-innovator-known-as-the-henry-ford-of-backpacking/


14 visualizações0 comentário