Cânion Guartelá

Atualizado: 14 de jul. de 2020


Cânion Guartelá. 📷Prefeitura de Tibagi

Considerado o sexto maior cânion do mundo em extensão, com cerca de 30 km, e o mais longo do Brasil, o Cânion Guartelá está localizado no planalto dos Campos Gerais, entre os municípios de Castro e Tibagi, distante cerca de 210 quilômetros da capital, Curitiba, no estado do Paraná.

O nome "guartelá", segundo a lenda, surgiu da expressão: "Guarda-te-lá, que cá bem fico", utilizada por um morador da região para prevenir seu vizinho quando soube que os índios Caingangues planejavam atacá-lo. Outra versão é que significa parede de pedra.

Esse nome caiu no gosto popular e o antes denominado Cânion do Rio Iapó passou a ser denominado Cânion Guartelá. Ele é formado pelo Rio Iapó e a sua profundidade chega ao máximo de 450 metros. Não é um cânion de penhascos verticais, suas altitudes variam de 700 m a 1.200 m, mas possuem um lindo cenário de belezas naturais.

Para preservá-lo, foi criado, em 1992, o Parque Estadual do Guartelá, que, além do cânion, contempla a Cachoeira da Ponte da Pedra, que apresenta a formação de uma ponte que corta a queda, e a região dos Panelões do Sumidouro (buracos na pedra por onde escorrem as águas do rio), que formam verdadeiras banheiras de hidromassagem naturais.

Ponte de Pedra. 📷 Mapio.net

Para acesso ao cânion pelo parque, existem duas possibilidades de trilhas. A principal, considerada uma trilha leve, autoguiada, com 2 horas de duração, com 5 km de extensão (ida e volta) e que dá acesso ao mirante do cânion, ao mirante da Cachoeira da Ponte de Pedra e às piscinas de Arroio Pedregulho (os panelões) onde é possível tomar banho.



Cachoeira da Ponte de Pedra. 📷 Denis Ferreira Netto

A segunda é feita apenas com acompanhamento de um guia autorizado do parque, o qual deve ser previamente agendado, e possui 7,5 km (ida e volta). Além das atrações da primeira, dá acesso às piscinas naturais, ao portal de rochas areníticas e às pinturas rupestres no Sítio Arqueológico da Lapa Ponciano, com cerca de 7 mil anos.


Lapa Ponciano. 📷mundoecologia

As pinturas rupestres, em cores vermelha e marrom, são de diferentes épocas, relacionadas a pelo menos três povos pré-coloniais. São pinturas de animais, como cervídeos, lagartos e aves, em miniaturas, além de símbolos associados possivelmente a figuras de grupos clânicos e guerreiros, provavelmente associados a ritos e mitos pré-coloniais de povos indígenas que habitaram a região.


Desfiladeiro Guaipiquere .📷instabusters.net

Os exploradores podem se aventurar em conhecer o cânion por uma trilha mais extensa, de 15 km, que passar por três propriedades particulares. Esse percurso permite a observação dos diversos tipos de relevo da região, pela margem esquerda do Rio Iapó, bem como a contemplação dos rochedos e dos imponentes paredões de arenito, com paradas em mirantes naturais, sempre de frente para o cânion e com a possibilidade de banho na Cachoeira de Água Santa.


Desfiladeiro Guaipiquere .📷instabusters.net

Essa trilha passa ainda pelo desfiladeiro "Guaipiquerê", em um trecho de paredão que os antigos usavam para ligar a parte inferior, às margens do rio, ao topo da escarpa.

E assim chegamos a mais uma viagem pelas deslumbrantes paisagens de mais um cânion. E você, está gostando? Curta, comente, deixe-nos suas impressões e sugestões. E continue experimentando o Brasil em nossa companhia.